domingo, 30 de dezembro de 2012

CASA VAZIA











Não ouço mais seus passos,
estas em meus braços,
assim bate forte meu coração...
sem nenhum rastro,
mas eu sei que te caço,
peço um beijo e um amasso.

Não queira fugir,
eu te quero pra mim,
bem aqui na minha frente
eu te aperto e, te quero.

Então ria de prazer,
eu não tenho mais alegria,
quando tentei, não podia.
Eu te vi, você fugia,
do amor que eu queria,
da nossa historia...
da nossa própria vaidade
mas, quanta maldade.

De tantos amores,
sem brilho, sem cores,
resta-me a poesia!
Numa casa vazia!!

(Edson Moreira Costa) 17/11/2012 MONOLOGO DO DUETO DESPEDIDA

ÉCOS D'ALMA

 










Oh! madrugada de ilusões, santíssima,
ombra perdida lá do meu Passado,
Vinde entornar a clâmide puríssima
Da luz que fulge no ideal sagrado!

Longe das tristes noites tumulares
Quem me dera viver entre quimeras,
Por entre o resplendor das Primaveras
Oh! madrugada azul dos meus sonhares.

Mas quando vibrar a última balada
Da tarde e se calar a passarada
Na bruma sepulcral que o céu embaça

Quem me dera morrer então risonho
Fitando a nebulosa do meu sonho
E a Via-Látea da Ilusão que passa!

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Eu Te Amo..

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Eu te amo do amanhecer ao anoitecer
e mesmo quando durmo, ainda te amo.

Eu te amo nas três dimensões, nas quatro luas,
nos quatro elementos, nas quatro estaçõe...s,
nos quatro pontos cardeais.

 
Eu te amo nos cinco sentidos, nas sete cores do arco-íris, nas sete notas musicais, nos doze signos do zodíaco,
em tudo o que existe eu te amo cada vez mais.

Eu te amo na procela e na calmaria, em todos os josés e marias, nos infantes, nos anciãos, nos amigos,
inimigos ou irmãos... eu te amo em toda a criação.

Eu te amo no caos aparente ou na mais perfeita estrutura... eu te amo como o próprio criador
ama a sua criatura.

Eu te amo no vento que vem do norte, na linha do horizonte, na pequena fonte, nas nuvens grávidas de chuva... eu te amo nos meus dias nefastos
e nos meus dias de sorte.

Eu te amo na árvore frondosa, na montanha majestosa, na pedra preciosa, nas miríades de estrelas do universo... eu te amo no pequeno átomo, na imponderável constelação, eu te amo para além
de qualquer humana compreensão.

Eu te amo pelo pouco que sei de ti, pelo muito que ignoro e por aquilo que somente posso pressentir.

Eu te amo na plenitude da lida, no ocaso da vida... e, depois que eu me for, nas lembranças que porventura eu deixar, hás de encontrar perfumados e palpitantes restos do que foi o meu amor !

SEU MELHOR MOMENTO

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
A vida recomeça a cada amanhecer,
lhe presenteando... o Sol,
para clarear os seus dias
e aquecer os seus momentos.
Persista em suas atitudes,

mas não se esqueça
de buscar a todo instante,
esperança e motivos de alegria.
Ame intensamente...
Realize seus desejos mais sonhados.
No seu coração está o tesouro...
AMOR...
Gostoso de sentir e de viver
Tenha serenidade e paz.
Busque ser feliz,
não se importando com “o que já foi”,
mas percebendo que
o seu melhor momento é “agora”.
Viva-o para que seja eterno.

((Lenilce Azevedo))

Olhares


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Ah! os olhares, quantos tipos são,
olhares de alegria, de tristeza
de quem ama, e tem uma saudade
cravada no fundo do coração.
Ah! os olhos.
Olhos que muito mais do que a boca,
falam.
Olhos, que ternura espalham, e dúvidas
expressam.
Olhares perdidos pela vastidão.
Há olhares diferentes que penetram
dentro da gente, e transpassam o mais
duro coração.
Olhares ocultos, que sem que os notemos,
nos seguem em silêncio ao nosso lado
sem percebermos.
Olhares que nos vigiam, olhares soltos
que vagueiam no espaço, com os olhos do
rosto, ou com os olhos guardados no
recôndito do coração.

(Roldão Aires)

Membro Honorário da Academia Cabista. ACLAC

Guardo



 
 
 
 
 
 
Guardo bem quieto em meu peito,
o muito amor que eu te tenho.
Guardo-o dentro de um coração
 triste, silente.

Faço do meu slêncio, o meu
sincero confidente.
Sabe ele a realidade, desse
querer que sinto.
Junto a mim ele viaja, a tantas
paragens distintas.
Finge que é alegre, tenta de várias
maneiras aconselhar-me,dizendo:
- Conta desse amor, de há muito
em teu peito guardado.
Eu faço que não o ouço.
Não vejo para esse amor perspectivas,
de que seja aceito.
Para não mais padecer, deixemo-lo
guardado onde está,que permaneça
desse jeito.

(Roldão Aires)

Membro Honorário da Academia Cabista. ACLAC

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

ILUSÃO






 










Eu trago dentro d'alma um sonho maltrapilho
Que vive a mendigar nas portas da ilusão...
Estranho sonho morto sem alcançar brilho
E tendo por tormento o próprio coração
Não é sonho,pois.É um fantasma em seu exílio

Enchendo com seu pranto a minha solidão
Mendigo de carinho e luz que surge o trilho
De uma cruel saudade,de uma atroz paixão
Quantas vezes sucede que este sonho triste
Todo em pranto me inunda e com calor insiste

Que o liberto,afinal em poemas de amor
Outras vezes porém qual poema dorido
Versos a arrenbentar do coração ferido
Meu pobre sonho explode em lágrimas de dor...

HEB

O Vento














Não tente deter o vento,
ele precisa correr por toda parte,
ele tem pressa de chegar, sabe-se lá aonde.
As lágrimas?


Não as seque,
elas precisam correr na minha,
na sua, em todas as faces.
O sorriso!
Esse, você deve segurar,
não o deixe ir embora, agarre-o!
Persiga um sonho,
mas, não o deixe viver sozinho.
Alimente a sua alma com amor,
cure as suas feridas com carinho.
Descubra-se todos os dias,
deixe-se levar pelas vontades,
mas, não enlouqueça por elas.
Abasteça seu coração de fé,
não a perca nunca.
Alargue seu coração de esperanças,
mas, não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-as.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!
Circunda-se de rosas, ama, bebe e cala.
O mais é nada.

Fenando Pessoa

2013 Chegando

A maior fonte de felicidade que há na vida, é saber que
alguém nos ama; que nos ama pelo que somos ou, melhor, que nos ama apesar do que somos."

Victor Hugo

Coração...

 











A melhor máquina do tempo é o coração.
É nele que guardamos paixões e amores não correspondidos.


Onde guardamos as imagens que marcaram os dias que passaram.
É nele que escondemos nossos medos, nossas angústias e aquela felicidade que não queremos contar para ninguém, a não ser nós mesmos.
É nele que conservamos a melhor lembrança dos dias que nos foram importantes.
É no coração onde deixamos a essência da nossa vida e da nossa força em pleno funcionamento.
E sempre que precisamos, é no coração que vamos buscar as razões pelas quais nos fazem acreditar que dias melhores estão por vir...
E que os dias passados são a nossa melhor lembrança.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

EU SOU













EU SOU O VENTO DA PRIMAVERA
TRAGO PERFUMES DAS FLORES
ESPALHO NO CAMPO
COBERTO DE RELVA VERDE

EU SOU O REGATO PEQUENO
QUE CAMINHA PRO MAR
ONDE ENCONTRO AS PEDRAS
NA LINHA DO HORIZONTE

EM PÉ SOBRE ELAS OBSERVO
AS NUVENS DO CÉU AZUL
PROCURO TEU SORRISO
TEU OLHAR
TEU CARINHO
TEUS BEIJOS
E O ABRAÇO
ONDE DESPERTAREI DE UM SONHO
NESTA TARDE DE PRINAVERA...

NAS LINHAS DA VIDA













SINTO-TE AQUI
 NAS LINHAS DE MINHA VIDA
NAS MARCAS DE MEU DESTINO
NO GOSTO ETERNO DE MEU DESEJO!
NA RETINA DOS MEUS OLHOS,

SÓ VEJO TEU ROSTO...
NOS LENÇOIS O PERFUME DO TEU CORPO
E NESSA VEIA QUE CORRE O PULSAR
DO MEU PEITO AO TE SENTIR.
VEM VIVER PARA MIM
CADA INSTANTE JÁ MARCADO
NA TRAJETÓRIA QUE NOS ESPERA
ILUMINADA EM CADA CENTELHA DE LUZ...
SIGAMOS JUNTOS ATÉ O SEMPRE
QUE NOS AGUARDA EM TODAS AS HORAS,
EM TODOS ESPERADOS MOMENTOS...
VEM CAMINHAR COMIGO
PELO TEMPO, DE MÃOS DADAS,
FAÇAMOS UMA SÓ ESTRADA
DAS NOSSAS LINHAS DA VIDA!

Adriana Leal & Rui E L Tavares

Moça mulher...

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Moça mulher...
Moça que tem o rosto,
exposto na minha mente...
Moça que nunca vou deixar,
ficar longe da minha retina...
moça que brinca de me amar,
com as meninas dos meus olhos...
 
Moça que passeia,
no meus pensamentos,
e brinca de redemoinhos,
com os meus pensamentos...
Moça que na calada da noite,
entra no meu quarto pela a minha janela,
e como uma leve brisa beija os meus lábios,
secos de amor e ávidos pelos os seus...
Moça que invade os meus sonhos,
e me ama de todas as maneiras,
me arranha, me assanha e me marca,
com a sua arte de amar...
Moça que me acorda,
com um beijo apaixonado,
antes de um novo amanhecer,
para me amar e saciar os desejos...
Moça só de pensar em você,
não vejo a hora de anoitecer,
e te amar até o amanhecer...
Moça me promete, sempre me aquecer,
e que nunca vai-me esquecer...
Moça mulher,
que faz de mim o que quer...
Moça me ouça, e nunca se esqueça...
Moça você é dona do meu coração..

Ernane Rezende rabiscador de poesias

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

NATAL: RECUPERAR E SALVAR A HUMANIDADE









É Natal e mais uma vez somos convidados a vivenciar essa realidade de um Deus que assume a nossa história humana para redimi-la e salvá-la, no amor. O natal expressa de maneira profunda a beleza do mistério da encarnação do Senhor: “Por Ele (Jesus), realiza-se hoje o maravilhoso encontro que nos dá vida nova em plenitude. No momento que vosso filho assume nossa fraqueza, a natureza humana recebe uma incomparável dignidade: ao tornar-se Ele um de nós, nós nos tornamos eternos”. Esse mesmo sentido aparece na oração a qual mostra que a vida de Jesus restabeleceu a dignidade do ser humano e ao mesmo tempo faz um convite para participarmos da sua vida divina: “Ó Deus, que admiravelmente criastes o ser humano e mais admiravelmente restabelecestes a sua dignidade, dai-nos o privilégio de participar da divindade do vosso filho que se dignou assumir a nossa humanidade.”

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Me abrace só um pouco







Me abrace, me abrace só um pouco
Eu sei que isto não durará para sempre
Então me abrace me abrace esta noite
Antes da manhã te levar,

O que é este brilho em seus olhos?
É lágrima o que eu vejo?
Oh amanhã você terá partido
Amanhã eu estarei tão sozinho
Poucos momentos na vida
Compartilhamos o nosso amor

Abrace, me abrace só um pouco
Eu sei que isto não durará para sempre
Então abrace, me abrace esta noite
Antes da manhã te levar,

Estamos um nos braços do outro
Logo estaremos há milhas de distancia
Você pode imaginar como eu sentirei saudade do
Seu toque e de seu beijo?
Poucos momentos na vida
Compartilhamos o nosso amor



Abrace, me abrace agora,
Desde o amanhecer até o cair de toda a noite
Salve, me salve agora,
Um breve momento na vida

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Divagações




Escolher um título para uma crónica é, de facto, um dos pormenores mais complicados nesta tarefa de cronista. Porque tem de ser, ao mesmo tempo, sucinto, apelativo e ligado ao texto. De seguida, surge o tema da crónica, em termos de uma escala de dificuldade na composição deste conjunto de palavras que agora vos apresento. Há quem diga que há mais temas que textos, mas como dizer isso na altura que o cronista tem de tomar uma opção? Até parece heresia! Em terceiro e último lugar, vem aquilo a que a maioria dos cronistas nem costuma tomar em grande atenção – agradar aos leitores. Mas eu costumo concentrar-me nesta tríade de objectivos.


sábado, 8 de dezembro de 2012

Permita-me




 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Permita-me beijar teu rosto
como o contato
que tem os pássaros com o nectares
das flores, fica tão doce...
permita-me ter voce sempre assim
como no embalo que
uma mãe dá ao filho, na hora do ninar
é tão acalentador...
permita-me ter voce sempre em minha alma
numa caricatura eterna
como desenha Enfill
fica tão nítido em mim
permita-me ter voce, como
as floristas fazem, enfeitando
o caminho das noivinhas toda em pétalas
só pra nosso amor passar assim, lindo!
permita-me ter voce como num arco-íris
a colorir o céu, em nuances que voce preferir
só pra satisfazer teu salmon eterno
e voce ficará assim feliz
permita-me ter voce como uma camponesa
que colhe braçadas de flores
para ter sempre por perto
as sementes já floridas
em suas casas cheias de simplicidade
mas só voce a enfeitá-lo
assim tão sutilmente
Permita-me ter voce
de qualquer maneira
contanto que voce se faça presente!
E toda minha vida!
Amo-te mais que a mim mesma.!!!

Professora de Marília, SP, fica em primeiro lugar no Prêmio Jabuti

Ela e um grupo de pesquisadores estudaram a história da alfabetização.
Maria Mortatti é presidente da Associação Brasileira de Literatura.


Uma professora de Marília, SP, se juntou a um grupo de pesquisadores e começou a estudar a história da alfabetização. Dos trabalhos realizados, resultou um livro, obra que neste ano recebeu o primeiro lugar na categoria educação do Prêmio Jabuti, um dos mais importantes do país. Discutir a educação no Brasil, os problemas e as soluções encontradas para o setor foi o desafio de um grupo de 21 pesquisadores do Brasil e de fora do país. O resultado foi reunido pela professora Maria do Rosário Mortatti, da Unesp de Marília, no livro "Alfabetização no Brasil: uma história de sua história".
"A história nos ensina que se há problemas que permanecem e há muitos problemas que permanecem. Eles já não são mais os mesmos porque os tempos são diferentes. E ao mesmo tempo propicia compreender que quando queremos propor algo novo precisamos saber se realmente é novo ou se estamos sem saber repetindo aspectos do passado que já foram superados. É fundamental conhecer o passado", afirma a professora.
Maria do Rosário nasceu em Araraquara. Ela é doutora pela Unicamp e presidente da Associação Brasileira de Literatura. O livro foi escolhido o melhor na categoria educação pelos jurados do Prêmio Jabuti, o mais importante da literatura brasileira. Honraria inédita para uma professora da Unesp de Marília.

"Mais importante do que isso é o fato desse prêmio ser um prêmio que está também além dos muros da universidade. Então, ver que há um reconhecimento de pesquisa acadêmica sobre esse tema de uma obra coletiva e que isso é de interesse da sociedade brasileira. Isso é motivo de orgulho e, ao mesmo tempo, nos coloca na posição de quem está levando esse conhecimento para aquilo que é a função da universidade”, completa Maria Mortatti.  

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

A marca de uma lágrima



 
 
 
 
 
 
 
 
 
Foi em um simples papel
que comecei a colocar
os desabafos de meu coração...
Palavras que respondiam os meus sentimentos,
que denunciam minhas vontades.
Uma lágrima sem razão rolou dos meus olhos
e caiu sobre a palavra amor...
Ai percebi que:
Os meus olhos choram por amor.
Lágrimas que nascem lá do coração,
que a alma aprova,
pois as lágrimas nos fortalecem.
"Uma pessoa que não chora,
tem mil motivos para chorar..."
Segurar as lágrimas é o mesmo
que pedir para parar o tempo.
O amor nos faz chorar,
porque é o sentimento mais forte
que existe na lei da vida.
Minha poesia ficou com uma marca,
a marca de um amor expressado em uma
Marca de Uma Lágrima.

Renascer na Solidão



 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Momentos inglórios de solidão,

à espera de uma breve chamada,
...

quase morremos de comoção,

quando batem na entrada...

E...alguém entra de mansinho,

como se, do nada se tratasse,

e sai, ainda mais devagarinho

como se já mais nada restasse!

E com um nada no coração,

fecha-se a porta com dor,

tranca-se a dor na solidão,

fazendo da solidão o amor!!!

E o que não passou de ilusão

transcorreu como a fantasia,

de fazer vibrar um coração,

que aos poucos...desfalecia!


Momentos inglórios de solidão,

à espera de uma breve chamada,
...

quase morremos de comoção,

quando batem na entrada...

E...alguém entra de mansinho,

como se, do nada se tratasse,

e sai, ainda mais devagarinho

como se já mais nada restasse!

E com um nada no coração,

fecha-se a porta com dor,

tranca-se a dor na solidão,

fazendo da solidão o amor!!!

E o que não passou de ilusão

transcorreu como a fantasia,

de fazer vibrar um coração,

que aos poucos...desfalecia!

Começar de novo.


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Se você confiou em Deus e andou pelo caminho Dele, Se O sentiu a guiar você todos os dias, mas agora seus passos o levam por outro caminho,
Comece de novo.

Se você fez planos que não deram certo, se você tentou dar o melhor de si e não há mais o que tentar, se você falhou consigo mesmo sem saber porquê,
Comece de novo.

Se você contou aos seus amigos o que planejava fazer, se você confiou neles e eles não o apoiaram, se agora você está sozinho, só podendo contar consigo mesmo,
Comece de novo.

Se você falhou com seus familiares, se agora você já não é tão importante para eles,
se eles perderam a confiança em você, se você se sente um estranho em seu próprio lar,
Comece de novo.

Se você orou a Deus, respeitando sempre a vontade Dele, se você orou e orou e ainda se sente infeliz, se você quer parar, sentindo que atingiu seu limite,
Comece de novo.

Se você está certo de que está acabado e quer desistir, se você chegou ao fundo do poço, se você tentou e tentou e não conseguiu subir,
Comece de novo.

Se os anos passam tão depressa e os sucessos são poucos, se chega dezembro e você se sente triste, Deus dá um novo janeiro à você.
Comece de novo.

Começar de novo significa:
Vitórias alcançadas

Começar de novo significa:
Uma corrida bem feita

Começar de novo significa:
DEUS sempre vencerá!

Silvia Schmidt

No livro: Sorte é Prá Quem Quer

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

SAUDADE


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Saudade do passado
do teu abraço forte e demorado
do teu beijo incendiário
do teu cheiro inesquecível
e de tudo que foi lindo entre nós dois.
Saudade
dos teus olhos me despindo
do cartinho manso
da paixão.
Sentimento violento
abrigou-se em nosso peito
foi motivo prá sorrir
e ao mesmo tempo
pôs um fim na história
que até hoje vive em mim.
Saudade...

VRSpoesias

Teus olhos












"Que os teus olhos sejam dois sóis
olhando a luz da vida em cada amanhecer.
Que cada dia seja um novo recomeço,
onde tua alma dance na luz....
Que em cada passo teu fiquem marcas Luminosas
de tua passagem em cada Coração.
Que em cada Amigo o teu coração faça Festa,
que celebre o canto da Amizade Profunda,
que liga as almas afins.
Que em teus momentos de Solidão e Cansaço,
esteja sempre presente em teu Coração
a lembrança de que tudo Passa e se Transforma,
quando a alma é Grande e Generosa."

(Sabedoria Celta)

Arquiteto Oscar Niemeyer morre aos 104 anos no Rio de Janeiro

Morte de Niemeyer foi confirmada às 21h55.
Reconhecido internacionalmente, completaria 105 anos em 15 de dezembro.

Oscar Niemeyer, de 104 anos, morreu no Rio. O arquiteto estava internado desde 2 de novembro no Hospital Samaritano, em Botafogo, Zona Sul da cidade.
Reconhecido internacionalmente por suas obras, Niemeyer completaria 105 anos em 15 de dezembro. A morte dele foi confirmada às 21h55. Veja mais sobre a repercussão no Brasil e no mundo da morte de Niemeyer nos vídeos ao lado.
Perfil
Uma, duas, três curvas. Foi assim, quase que por acaso, em 1940, que nasceu o desenho da Igreja da Pampulha. Ali nascia também a paixão pelo caminho sinuoso.
“Eu procurei uma forma de arquitetura diferente, mais vazada, mais leve, principalmente diferente, que construísse essa ideia de que arquitetura é invenção. E esse foi o tipo de arquitetura que eu fiz, que me agrada e venho fazendo a vida inteira”, afirmou Niemeyer.
O jovem arquiteto já havia feito outras obras e participado com destaque da equipe de criação do prédio do Ministério da Educação no Rio de Janeiro, mas vinha buscando uma expressão própria, uma marca, uma assinatura.
“Eu queria uma arquitetura que não fosse, não lembrasse, uma arquitetura feita com régua e esquadro. Uma arquitetura assim com mais fantasia. Cada um faz o que quer e assim que eu faço a minha”, disse Niemeyer.
A arquitetura de Niemeyer se casava perfeitamente com a imagem de um Brasil que se modernizava. O governador que construiu o conjunto da Pampulha em Belo Horizonte virou presidente. Juscelino Kubistchek convidou o arquiteto Oscar Niemeyer e o urbanista Lucio Costa para um sonho maior: em pleno cerrado, no coração do Brasil, fazer uma cidade inteira.
“Quando eu chego perto de Brasília, parece um milagre. Eu fico pensando, achando quase impossível o Juscelino ter feito aquela obra em três anos e meio. Porque hoje, para a gente fazer dez edifícios, leva uns três anos, dois anos, depende do ritmo. Mas Brasília tinha que fazer as ruas, tinha que fazer tudo, uma cidade inteira”, explicou o arquiteto.
Nas asas da cidade que Lucio Costa planejou, Niemeyer desenhou dezenas de obras: praças, rampas, uma catedral, muitos palácios. “Acho que foi uma coisa fantástica, foi um momento assim de otimismo, uma cruzada assim fantástica, e mostrou pelo menos que a gente pode fazer as coisas também”, disse.
Quando veio a ditadura militar, Niemeyer, comunista por ideologia, foi vigiado e perseguido. Passou longo tempo fora do Brasil. “O clima ficou ruim para mim... Eu fui para fora. De modo que eles queriam me paralisar, me deram a possibilidade de mostrar no exterior a minha arquitetura”, afirmou.
Suas curvas ganharam o mundo: ele tem obras na Itália, na Argélia, na França, na Espanha. Niemeyer sempre se orgulhou de lutar por mundo mais justo. Jamais pensou em acumular bens. O dinheiro que ganhava com grandes projetos usava também para ajudar os amigos.
Quando soube que o líder comunista Luís Carlos Prestes não tinha onde morar, comprou um apartamento para ele. O motorista do arquiteto ganhou uma casa projetada por ele na favela do Vidigal.
Diante da bela paisagem da Princesinha do Mar, o escritório de Copacabana era o local de encontro dos amigos, do debate, dos estudos, da livre circulação das ideias. E as ideias desse nosso mestre das curvas pareciam jamais se esgotar.
Para São Paulo, o Memorial da América Latina. Para Curitiba, um olho gigante para abrigar a arte contemporânea. Para Niterói, um disco voador, pousado às margens da Baía de Guanabara.
Para quem sempre disse que a vida é um sopro, que o homem é um grão de poeira no imenso universo, Oscar Niemeyer parecia sempre ultrapassar barreiras da idade, os limites do tempo.
Aos 99 anos se casou novamente, com Vera, a companheira de uma vida de trabalho. Aos 100, confessou que se sentia como se tivesse apenas 60 anos e fez festa na bela Casa das Canoas, que construiu no Rio, entre as pedras e a mata, 50 anos antes.
Com 101, lá estava ele, supervisionando obras. Estava no show do amigo Chico Buarque em 2011, e, no calor do verão de 2012, admirando a ampliação da Passarela do Samba.
Surpreendente? Genial? Fora do comum? Ele não se achava nada disso. “Um homem comum que trabalhou como todos os outros, que passou a vida debruçado na prancheta e se interessou pelos mais pobres, que amou os amigos, a família, como a maioria, nada de especial”.
 

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Indústria Farmacêutica

ONG questiona preços, fármacos e publicidade de grupos farmacêuticos no Brasil2


O estudo “Às custas dos pobres”, realizado pela ONG alemã Bundeskoordination Internationalismus (Buko), pesquisou no Brasil a conduta de três multinacionais da indústria farmacêutica: as alemãs Bayer HealthCare e Boehringer Ingelheim e a norte-americana Baxter, avança a DW.

Entre Janeiro de 2011 e Junho de 2012 foram avaliadas a oferta de medicamentos, a política de preços e as estratégias de marketing dos três grupos. Apesar de alguns pontos positivos, como o facto de muitos medicamentos importantes produzidos pelas multinacionais serem comercializados no Brasil, as críticas sobressaem: preços muito altos impedem o acesso a medicamentos importantes, fármacos proibidos noutros países são vendidos no Brasil, algumas campanhas publicitárias são enganosas e combinações de substâncias oferecem riscos à saúde.

"O objectivo era identificar problemas nas estratégias dessas empresas e tentar mudar algumas de suas condutas", explica o investigador Rogério Hoefler, do Conselho Federal de Farmácia, que cooperou com o projecto da ONG alemã. "Para produtos que as empresas não podem comercializar na Alemanha, elas procuram outro mercado e utilizam a fragilidade desses países na questão sanitária", completa o investigador. E o Brasil é um desses destinos.

Na avaliação de Hoefler, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária do Brasil) – que existe há pouco mais de dez anos – ainda encontra-se nos seus primórdios em termos de actuação. Segundo o investigador, as empresas tiram proveito dessa situação. "Mesmo sabendo que o produto não seria adequado e seguro para ser comercializado, elas vão vendendo enquanto o governo permite", afirma.

Buscopan® Composto

Essa declaração vale, por exemplo, para a Boehringer Ingelheim. O Buscopan® Composto, por exemplo, é severamente criticado por conter a substância activa metamizol, que pode desencadear diversas reacções adversas no corpo, além de provocar uma redução drástica de glóbulos brancos, importantes para o sistema imunológico.

A substância é proibida nos EUA, no Reino Unido, na Austrália, no Canadá e na Suécia. Na Alemanha, os medicamentos que contêm metamizol foram retirados do mercado em 1990 e o uso da substância é limitado a determinados casos.

A pesquisa afirma que a Boehringer Ingelheim continua a oferecer o medicamento nas farmácias brasileiras por interesses económicos: o Buscopan® Composto é o medicamento mais vendido no país, tendo sido responsável por 11% da facturação da Boehringer Ingelheim no Brasil em 2011.

Já a Bayer HealthCare, sediada em Leverkusen, no oeste alemão, é criticada pelas suas peças publicitárias e os seus altos preços. O medicamento Nexavar®, muito importante no tratamento do cancro do fígado, custa no Brasil por mês para cada paciente um total de 2.934 euros (aproximadamente 7.300 reais) – um preço salgado até para a classe mais abastada, ressalta a pesquisa.
Além disso, certas "misturas absurdas de vitaminas" também foram criticadas. O complexo Supradyn® Pré-Natal reúne 25 substâncias. Segundo especialistas, isso é problemático, uma vez que a reacção do corpo à ingestão concomitante de tantos princípios activos é imprevisível.

Além disso, as peças publicitárias do medicamento são questionáveis: num spot para a TV, mãe e filho tomam juntos um comprimido do composto vitamínico, enquanto degustam uma comida fast food, insinuando ao espectador uma alimentação que fornece energia ao corpo.

Sem colaboração

A norte-americana Baxter foi a que melhor se saiu nos resultados da pesquisa – mas é, também, a menos presente no mercado brasileiro entre as três empresas pesquisadas. Em 2011, a multinacional comercializou 53 produtos no país, ao passo que a Boehringer Ingelheim esteve presente com 104 medicamentos e a Bayer, com 167.

Uma das críticas à Baxter é, contudo, a política de preços. As parcelas mais pobres da população, bem como os hospitais públicos, acabam não tendo acesso aos remédios do fabricante. Além disso, a empresa não se dispôs a colaborar com o estudo e recusou-se a responder os questionários enviados.

A equipa de investigadores tentou entrar em contacto com as três multinacionais no Brasil, mas o retorno foi mínimo: apenas a Boehringer Ingelheim respondeu. "Essa falta de transparência é um aspecto muito importante. Percebemos que quase não existe um compromisso com a sociedade, nem uma transparência de informar o que fazem no Brasil", aponta Hoefler.

Conclusões finais

O estudo conclui que o livre acesso à saúde no Brasil esbarra principalmente nos altos preços dos medicamentos, principalmente no que diz respeito às chamadas "doenças da civilização", como enfermidades cardíacas e circulatórias, cancro ou diabetes, cujo tratamento depende muitas vezes de medicamentos de preços elevado. Para mudar essa situação são necessários investimentos enorme nos próximos anos, concluem os investigadores.

A pesquisa realizada no Brasil complementa projecto semelhante executado na Índia, em 2010, no qual a conduta das mesmas empresas foi analisada. O estudo será publicado no Brasil, em português, entre Fevereiro e Março de 2013.

O Brasil é o quarto maior mercado consumidor de medicamentos do mundo, depois dos EUA, da Alemanha e da França. Desde 2005, o mercado brasileiro cresce num ritmo acima dos 10%, em 2010 chegou até a 19% ao ano. Além disso, o Brasil é o país com maior número de farmácias do mundo – a Federação Brasileira das Redes Associativistas de Farmácias regista mais de 60 mil farmácias em todo o território nacional.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Interior de SP ganha destaque em ranking de qualidade de vida

Uma pesquisa feita pela Federação das Indústrias do Rio mostrou que de 100 cidades com os melhores índices de desenvolvimento no país, 73 estão no estado de São Paulo.

No Brasil, um grupo de 100 cidades ganhou destaque. São oásis do desenvolvimento, da qualidade de vida, e 73 delas estão no estado de São Paulo.
Indaiatuba, no interior de São Paulo, tem construído, em média, um posto de saúde por ano. A cidade tem orçamento anual de R$ 600 milhões e investe 28% em saúde, o que para a população ainda é pouco. “Perfeito não, a gente precisa de um hospital”.
Indaiatuba tem mais de 800 indústrias, a maioria ligada ao setor automotivo. E aqui o índice de desemprego gira em torno de 2%. “Para trabalhar é muito bom, só quem não quer não trabalha mesmo”.
A pesquisa feita pela Federação das Indústrias do Rio mostrou que de 100 cidades com os melhores índices de desenvolvimento no país, 73 estão no estado de São Paulo.
“O estado de São Paulo mostra uma particularidade bastante interessante, que é o fato do interior ser inclusive mais forte que a capital. É o único estado que apresenta essa característica”, afirma Guilherme Mercedes, coordenador da pesquisa no Firjan.
O município de Amparo ficou em 4º lugar na pesquisa. Na cidade com 65 mil habitantes está Ismael, um aposentado que rodou por várias cidades do Nordeste e morou em São Paulo, mas se apaixonou pelo lugar. “Cidade pequena com ares de cidade grande”, conta.
Sexta colocada na pesquisa, Ribeirão Preto é outra cidade alvo de investimentos pelos atrativos. “Qualidade de vida excelente, custo de vida barato”.
“Campo de trabalho tem bastante. A parte de escola também. Tem escola técnica. Dá para a gente constituir um belo futuro. Tem a universidade que eu quero seguir, eu quero fazer letras. Então, dá para a gente seguir por aqui”, afirma a atendente de padaria Amanda Tavares.

sábado, 1 de dezembro de 2012

FLOR DO DESERTO

Acabei de ler o livro Flor do Deserto, um livro apaixonante em que temas sérios e reflexivos são abordados. O livro escrito por Waris Dirie e (que na Somália significa Flor do Deserto), o livro relata a história da vida da autora desde os desertos da Somália até ao topo do mundo da moda. Uma trajetória pessoal que serve como argumento para retratar o drama das mulheres somalis vitima da circuncisão precoce.

 A história da modelo Waris Dirie é impressionante. Nascida na Somália, numa família tradicional de doze filhos, numa tribo de nômades do deserto africano. Neste livro conta a sua vida, as brincadeiras com os irmãos, as corridas de camelos e a mutilação genital imposta por uma anciã, quando tinha apenas cinco anos de idade, como costume antigo aplicado a quase todas as meninas somalis. O livro relata alerta para o problema da mutilação genital e conta em por menor este bárbaro costume.
O pai de Waris Dirie tentou negociar o seu casamento, quando tinha apenas doze anos de idade, com um desconhecido de sessenta anos em troca de cinco camelos, e Waris para fugir do casamento não desejado, atravessa a pé o deserto africano até chegar à capital Mogadíscio e daí a Londres. O livro narra à história da fuga, a sua chega a Londres, o seu trabalho como empregada do embaixador da Somália, posteriormente o seu trabalho como faxineira do MacDolnalds onde foi descoberta por um fotógrafo de moda. Flor do Deserto é o relado verídico da moda de Waris Dirie, e tudo o que é descrito é baseada na memória da autora.
A denúncia da mutilação das mulheres somalis é o grande objetivo da obra Flor do Deserto. Através da sua biografia, a modelo africana Waris Dirie, atravessa as fronteiras da Somália e mostra ao mundo o lado grotesco de sua cultura.
Bom muitos de vocês já devem ter ouvido falar dela, mas talvez não conheçam a história a fundo. Eu tinha ouvido falar, mas, achava que fosse algo restrito a algumas tribos e não tinha noção de quão absurdo é o processo. Simplesmente, a sangue frio, sem condições de higiene e anestesia, pegam um objeto cortante qualquer e cortam a vagina da menina (geralmente entre 05 e 10 anos de idade). Tiram o clitóris, os pequenos lábios e parte dos grandes lábios. Ou seja, decepam a vagina das meninas. Em seguida, fazem furos (com espinhos ou o que tiverem de perfurante à mão) e costuram a vagina. Deixam um buraco da grossura de um palito para que a urina e o resíduo menstrual possam, literalmente, pingar. A recuperação, obviamente, é tão brutal quanto à operação em si (se é que pode se chamar de operação). Amarram as pernas da menina e a deixam se recuperar naturalmente. Afinal, em países Somália e Etiópia onde se toma água a cada dois dias, remédios é um luxo que a maioria morre sem saber que existe. É claro que muitas dessas meninas morrem com gangrena, infecções e hemorragias. As que sobrevivem sofrem sérias conseqüências. Suas cólicas menstruais são mais fortes, muitas desenvolvem tumores porque o resíduo menstrual acaba se acumulando dentro delas e isso sem falar que nunca sentirão prazeres sexuais. Como mulher e ser humano fiquei chocada ao ler isso, só de pensar na dor que essas meninas devem sentir me dói o coração.
Não se sabe bem da origem desse costume, mas sabe-se que muitos acreditam que somente assim manterão a castidade de suas filhas e fidelidade de suas esposas. Como as mães passam por isso e os pais foram educados assim, acabam passando adiante a prática em suas filhas. Segundo a ONU, cerca de 02 milhões de meninas por ano passam por isso. Quando elas casam, o marido arrebenta a vagina da coitada no ato sexual ou, para facilitar, abre com uma faca. Depois que elas tem um filho, são costuradas novamente para que o marido possa receber sua mulher fechadinha de novo. E elas nem imaginam que isso não ocorre com o resto das mulheres no mundo. Para elas é normal. E, as que não são mutiladas, são consideradas sujas pelos outros homens e sem valor.
O Livro da Origem ao Filme: Flor do Deserto.
Em 1998 a autobiografia da Waris tornou-se “Best-seller” mundial. Desde então, com sua luta massiva e interrupta pela proibição da circuncisão no mundo, a ex-nômade foi nomeada Embaixadora Itinerante da ONU contra a Mutilação Feminina. Figura central de um documentário da BBC sobre o tema e, agora, personagem principal de um longa-metragem.
O filme é muito lindo e emocionante, não é difícil entender a história de Waris porque desperta tanto fascínio em quem tem a oportunidade de ler seu livro ou de assistir o filme que é baseado em sua história. Tais materiais traçam um relato exato da conturbada fuga de uma garota que, de tão magra, nem parecia ter forças para sustentar, e mesmo assim se lançou na travessia de um deserto da região. Para Waris o que importa é a divulgação de um traço cultural que continua causando irreversíveis danos físicos e psicológicos às mulheres somalis.
A modelo Liya Kebede que faz o papel da protagonista do filme da vida de Waris que consegue conferir um realismo impressionante à personagem à identificação é quase instantânea entre atriz e personagem, e tem uma semelhança física muito grande entre as duas mulheres.
Quem tiver oportunidade lê o livro ou assistir ao filme se prepara para duas horas de representação chocante de uma realidade muito triste.
O filme segue fielmente o relato de Waris, embora não exatamente em uma ordem cronológica. A beleza singular de Waris Dirie foi descoberta pelo fotógrafo Terry Donaldson (Timothy Spall) enquanto ela trabalhava como faxineira na unidade do MacDonald.
Flor do Deserto tem muito para mostrar é um filme totalmente oportuno com sua denuncia, ganhando peso com testemunho devastador de Waris Dirie para uma jornalista onde explica, detalhadamente, os métodos cirúrgicos de sua circuncisão. No final do filme com letras grandes confirma que mais de seis mil mulheres são vitimas dessa prática intolerável diariamente, Flor do Deserto é um filme obrigatório. Este filme foi lançado em 2010.
Tem uma passagem no livro onde as escritoras dizem que “... Nem uma folha da árvore cai sem a permissão de Deus”... 
Por isso Waris Darie sobreviveu ao deserto, à exploração, a fome, e ao preconceito e tudo mais. Pois havia um propósito para todo esse sofrimento. Através dela, o mundo precisava saber o quanto as mulheres somalianas sofrem e morrem por causa de uma prática arcaica, brutal e ignorante. Ela venceu. E penso que através da sua história de vida ela colaborou para que muitas outras mulheres em seu país vencessem também.
Vale apena ler o livro e ver o filme, uma mulher de fibra, caráter além de servir para conhecermos como vivem outros povos de outra cultura.

HELENA

MEU CANTINHO PREFERIDO

Minha foto
A Rádio Jovem FM Online é direcionada a todo tipo de público e com todos os generos musicais. Esse é um dos ingredientes aqui na Radio Jovem FM Online. Estamos sempre interessados no bem estar e lazer dos nossos ouvintes. Por isso, buscamos a cada dia mais motivos para agradar você ouvintes!! SEJAM TODOS BENVINDOS E SE SINTAM JOVENS!!!

Todos nós precisamos de Amor e Carinho




Gatinha

Frases para Orkut

Ocorreu um erro neste gadget